Conheça alguns Tipos de Varizes

Varizes são veias dilatadas, com tortuosas e insuficientes que afetam principalmente a região das pernas e dos pés. Normalmente aparecem em mulheres, porém podem afetar homens também. Para algumas pessoas, as varizes podem ser um problema puramente estético, porém para outras elas podem gerar dor e incômodo. Existem alguns tipos de varizes. Confira:

Varizes Pélvicas

Pessoa com as mãos em volta da pélvis.

As varizes pélvicas são veias dilatadas que aparecem principalmente nas mulheres e atingem principalmente o útero, mas também podem afetar os ovários e as trompas de falópio. Ainda não possuem cura, porém, caso hajam sintomas, estes podem ser controlados com o uso de medicamentos, além da cirurgia.

Sintomas

Normalmente, as varizes pélvicas não apresentam sintomas, mas eventualmente podem surgir alguns:

  • Varizes visíveis na região da vagina, bumbum ou nas coxas.
  • Incontinência urinária;
  • Dor abdominal;
  • Dor durante o contato íntimo;
  • Sensação de peso na região íntima;
  • Aumento da menstruação.

Geralmente, o médico ginecologista faz um diagnóstico por meio de exames como tomografia pélvica ou abdominal, angiorressonância e ultrassom com doppler.

Causas

As varizes pélvicas surgem geralmente, em virtude da gravidez, pois o corpo precisa dilatar nessa área, para transportar todo o sangue que é necessário para a gestação. Os hormônios produzidos durante a gravidez dilatam todas as veias do corpo da mulher. Elas também podem aparecer por causa de fatores genéticos.

Tratamento

Os tratamentos de varizes pélvicas tem como objetivo reduzir os sintomas apresentados. O tratamento pode ser feito por:

Técnica de Embolização

A técnica de embolização consiste em colocar pequenas “molas” dentro das veias pélvicas que estão dilatadas, para impedir o abastecimento de sangue para as veias e reduzir os sintomas. Portanto, o médico tem que introduzir uma agulha nas veias da área pélvica, por um cateter e apenas depois colocar as “molas”.

O procedimento é realizado com anestesia local e sedação, e tem duração de 1 a 3 horas, e normalmente não precisa de internação no hospital. Também pode ser usada a escleroterapia com espuma ou outros embolizantes como Cianocrilato ou Gelfoam para auxiliar na oclusão das veias atingidas. É comum o paciente sentir incômodo e dor na região pélvica e o local de colocação do cateter ficar roxo.

Cirurgia

Nesse caso, é feito um “nó” nas veias atingidas pelo médico, o que faz o sangue circular apenas nas veias que estão saudáveis. É realizada uma anestesia geral e o procedimento necessita de internação no hospital. Em casos que a cirurgia ou a técnica de embolização não são suficientes, pode ser preciso fazer uma cirurgia para remover as varizes ou retirar o útero ou os ovários.

Além disso, pode-se utilizar remédios para varizes prescritos e analgésicos. E durante o tratamento de varizes pélvicas, é necessário ter alguns cuidados:

  • Evitar ficar muito tempo em pé parado ou sentado;
  • Praticar exercício físico regularmente;
  • Usar meias elásticas de compressão;
  • Botar um calço no pé da cama.

Lembre-se: Consulte um médico ginecologista sempre para descobrir qual a melhor forma de tratamento!

Varicocele (Varizes do testículo ou varizes do escroto)

Imagens de região genital masculina com varicocele e sem varicocele.

A varicocele é a dilatação das veias presentes dentro do escroto, que é a bolsa de pele solta abaixo do pênis que guardam os testículos. Essa dilatação pode atrapalhar o retorno venoso promovendo uma piora na qualidade do sêmen e uma disfunção testicular. Geralmente, aparece em homens de 15 a 25 anos.

Causas

A ciência ainda não conseguiu descobrir quais as causas da varicocele, porém vários especialistas acreditam que a varicocele surge quando as válvulas de dentro das veias do cordão espermático impedem que o sangue flua de forma adequada, fazendo com que o sangue retroceda, o que causa o alargamento das veias e o inchaço. Normalmente, a varicocele se desenvolve e aparece normalmente no lado esquerdo, possivelmente em virtude da veia testicular esquerda. Porém, varicocele em apenas um dos lados pode atingir os espermatozoides de ambos os testículos.

Sintomas

A varicocele geralmente não apresenta sintomas e raramente causa dor. As varicoceles podem aumentar de tamanho com o tempo e ficarem mais visíveis, além da possibilidade de haver sinais de infertilidade e atrofia testicular. Em casos de sintomas persistentes, podem ser utilizados remédios para o alívio da dor e do incômodo.

Tratamento

Normalmente, o uso de alguns medicamentos via oral e o uso de suspensório durante exercícios físicos pode auxiliar na melhora dos sintomas. No entanto, caso haja a comprovação da relação da varicocele com a infertilidade, é necessário o procedimento cirúrgico. É feita uma cirurgia simples, com uma anestesia peridural ou raquidiana. Por meio de dois cortes pequenos na região pubiana, é realizado a ligadura das veias varicosas.

  • A varicocele não é uma doença grave se for tratada de forma correta e no momento certo;
  • É uma doença geralmente inofensiva e não exige de tratamento;
  • O diagnóstico precoce e o acompanhamento médico são fatores essenciais para a manutenção da qualidade de vida.

Varizes Esofágicas

Desenho do esôfago.

Varizes esofágicas são vasos sanguíneos dilatados e tortuosos que formam-se na parede do esôfago. O esôfago é um órgão que liga a garganta ao estômago em forma de tubo. Podem ser graves, pois a medida que se tornam maiores, possuem o risco de se romperem e provocarem um sangramento sério. As varizes esofágicas podem ficar isoladas ou podem afetar o estômago também.

Causas

  • Cirrose hepática (é a causa mais comum);
  • Trombose das veias Porta, supra-hepática ou esplênica;
  • Esquistosomose;
  • Também existem casos de varizes esofágicas em que a causa é desconhecida.

Sintomas

As varizes esofágicas não costumam apresentar sintomas, só aparecendo quando sangram. Então, podem surgir:

  • Vômitos com sangue;
  • Tontura;
  • Pele pálida;
  • Evacuações com sangue;
  • Perda de consciência.

Tratamento

Os pacientes que apresentarem varizes esofágicas devem ser acompanhados por um médico regularmente. Existem várias opções para o sangramento das varizes esofágicas ou para prevenir complicações:

  • Procedimentos endoscópicos (injeção de solução esclerosante, colocação de banda elástica);
  • Medicamentos para diminuir a pressão nas varizes (terlipressina, naldolol, octreotide e propranolol);
  • Confecção de um shunt porto-sistêmico (é passado um cateter com um pequeno tubo que é posicionado fazendo uma ligação entre as veias porta e hepática de forma que diminua a pressão na veia porta).

Atenção: É essencial fazer o tratamento para não haver o surgimento de novas varizes.

Tem cura?

O paciente vive sem complicações, com o tratamento indicado, o risco de sangramento é reduzido bastante.

Post criado 6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo